As fintechs e startups focadas no mercado financeiro têm ganhado cada vez mais relevância no Brasil; isso é inquestionável. A vertical de soluções de pagamentos, liderada principalmente pelos cases de sucesso do Nubank e Neon, ganham manchetes dos jornais dia após dia.

Mas, apesar desse foco em pagamentos, a vertical de crédito no setor brasileiro de tech é uma das que mais crescem nos últimos anos. Oferecendo plataformas mais ágeis e simples para oferecer empréstimos, antecipação de recebíveis e negociação de dívidas, essas fintechs são umas das que têm atraído mais investimentos entre as startups financeiras do país.

Nos últimos 12 meses, as fintechs de crédito arrecadaram R$ 455,9 milhões em investimentos, o que representa mais de 27% do total investido em fintech no Brasil segundo o monitoramento do Conexão Fintech. Apesar dos grandes números, as startups com foco em crédito têm muito espaço para crescer no país, por exemplo ao oferecer crédito para empresas e soluções que busquem a inclusão financeira da população que hoje não tem acesso a crédito. Essa é a proposta do encontro que será realizado pelo Conexão Fintech no dia 06 de dezembro: aprofundar o debate e explorar como as startups e novas tecnologias podem mudar o mercado de crédito nacional.

Confira os investimentos em fintechs de crédito nos últimos 12 meses: 

Bom Pra Crédito
A fintech Bom Pra Crédito, um marketplace de crédito on-line do Brasil, recebeu investimento da rodada Serie A de R$ 22 milhões liderada pela Innova Capital.  O investimento foi acompanhado pela Astella Investimentos e por Ricardo Loureiro, ex-presidente do Serasa-Experian que já haviam investido em rodadas anteriores. (Saiba mais)

Rebel
Rebel, fintech de empréstimo pessoal, recebeu um aporte de R$ 14,9 milhões (US$ 4 milhões) numa rodada liderada pela Monashees. Também participaram da rodada a XP, J. Malucelli e a Point Break Capital. Somado aos investimentos anteriores, a fintech já captou R$ 20 milhões. A startup é uma fintech de crédito que usa tecnologia para agilizar empréstimos pessoais para a classe média. Segundo a assessoria, o novo investimento deve ser alocado principalmente na área de tecnologia. Atualmente, ela já usa machine learning e inteligência artificial para calcular taxas com base no perfil de cada cliente e também usa blockchain para certificar seus contratos. (Saiba mais)

BizCapital
BizCapital, fintech de crédito que oferece empréstimos para micro e pequenas empresas, recebeu um aporte de R$ 20 milhões da Quona Capital e dos fundos Monashees e Chromo Invest. É o segundo recebido pela fintech neste ano, que pretende usar os recursos para investir em tecnologia e preparar a companhia legalmente para entrar com pedido no Banco Central para se tornar uma Sociedade de Crédito Direto (SCD). (Saiba mais)

Equipe da Accesstage, investidora da plataforma Negocie Online

Negocie Online
Negocie Online, plataforma de autosserviço digital para usuários negociarem dívidas, recebeu um investimento de R$ 5 milhões da Accesstage, empresa especialista em soluções para intercâmbio de dados financeiros. Esse é o segundo aporte da Accesstage em fintechs, o primeiro foi em julho [veja abaixo] na Moneto. (Saiba mais)

Moneto
Moneto, fintech de gestão de recebíveis e cobrança online, recebeu um investimento semente de R$ 2 milhões da Accesstage, uma empresa de soluções financeiras e gestão de processos. Lançada em 2016, a Moneto é uma startup de São José dos Campos (SP) que oferece uma plataforma tecnológica visando acelerar o recebimento de vendas por cartão de crédito, débito e boletos, permitir a gestão da cobrança e do fluxo de caixa de forma mais prática para o mercado de microempreendedores e profissionais autônomos. (Saiba mais)

Creditas (ex-BankFácil)
A fintech Creditas, uma plataforma online de empréstimos com garantia, recebeu um aporte de US$ 55 milhões (cerca de R$ 190 milhões) numa rodada de investimentos série C liderada pelo fundo sueco Vostok Emerging Finance. Dois novos investidores participaram dessa rodada, o Amadeus Capital Partners e o Santander InnoVentures, fundo do banco Santander que compra participações em startups, sendo essa a primeira vez que o Santander investiu numa empresa brasileira. (Saiba mais)

FinanZero
FinanZero, fintech de capital sueco que opera como correspondente bancário online para negociar empréstimos junto a instituições financeiras, recebeu um aporte no valor de R$ 12 milhões. A rodada série A foi liderada pelo fundo sueco Vostok Emerging Finance com a participação de outros investidores suecos, incluindo a Webrock Ventures e a Zentro. Com este investimento, a FinanZero quer ampliar sua equipe além de investir no aprimoramento da sua própria plataforma online, garantindo uma experiência mais transparente e menos burocrática na contração de empréstimos. (Saiba mais)

BizCapital
A BizCapital, fintech que oferece crédito a micro e pequenas empresas sem acesso a grandes bancos, recebeu seu segundo aporte, no fim de fevereiro. Ela receberá R$ 15 milhões a serem aplicados em suas operações e desenvolvimento, numa rodada de investimentos liderada liderada pela Chromo Invest e pela 42K Investimentos. (Saiba mais)

Sócios da Zen Finance

Marcelo Nomoto, diretor de tecnologia da Zen, e Jorge Vargas Neto, CEO

Zen Finance
A fintech de crédito Zen Finance acaba de receber uma rodada de investimentos do Global Founders Capital, fundo com sede em Munique, Alemanha. O valor (não divulgado) será utilizado na expansão da equipe de colaboradores e nos fundos de investimento em direitos creditórios (FIDCs) da startup. A rodada de investimentos também contou com a participação de Philipp Povel, fundador e CEO da Dafiti, e Carlos Eduardo Norbert, da Petronia Capital, investidor e executivo com mais de 17 anos de experiência em private equity, venture capital e fusões e aquisições. (Saiba mais)

Creditas
Creditas, empresa que concede crédito pessoal com garantia em veículos e imóveis, acaba de fechar uma nova rodada de aporte de capital, no valor de R$ 165 milhões. O investimento é o segundo em 2017. No início do ano, a fintech recebeu um aporte de R$ 60 milhões de reais. (saiba mais)

Creditas - Sergio Furio

CEO da Creditas

QueroQuitar!
QueroQuitar!, uma startup fintech de negociação online de dívidas e educação financeira, recebeu um investimento de R$ 1 milhão do Fundo BR Startups no início de dezembro de 2017.  A QueroQuitar é uma plataforma que busca tornar mais simples a quitação de dívidas tanto para o usuário como para a cobradora, pois elimina intermediários. A startup informa que já ajudou mais de 280 mil pessoas a resolverem suas pendências financeiras. (saiba mais)

 Adianta
Adianta, fintech de antecipação de recebíveis para PMEs (pequenas e médias empresas), recebeu um aporte no valor de R$ 5 milhões da Osher Tech, divisão de investimentos da Osher Investimentos e Participações. Criada em março de 2017, a Adianta tem como foco as PMEs, oferecendo um serviço digital de antecipação de recebíveis de maneira mais ágil e simplificada que as empresas tradicionais do setor. (saiba mais)

Noverde
Noverde, uma fintech de empréstimos criada em 2016, recebeu em novembro de 2017 um investimento de R$ 4 milhões da Domo Invest. Essa é a segunda rodada de investimentos recebida pela Noverde, que a partir desse aporte deve aumentar a base de clientes e abranger uma parcela ainda maior da população que não consegue obter empréstimos dos bancos convencionais. O intuito da Noverde é ajudar seus clientes a se manter no verde sem burocracia e com juros mais justos que o praticado pelo mercado. (saiba mais)

 

Quer saber mais sobre fintechs de crédito? Venha para o Cred-Tech Brasil, garanta sua vaga aqui!

Quer conhecer mais sobre as fintechs que estão mudando o setor de Crédito no Brasil? Participe do Cred-Tech Brasil, um encontro onde o mercado se reunirá para discutir os próximos passos da inovação nessa indústria. Garanta sua vaga aqui.