Focado em crescimento, Nubank tem prejuízo de R$ 122 milhões em 2016

A maior startup fintech do Brasil, o Nubank, registrou um prejuízo líquido de R$ 122 milhões em 2016. Apesar do valor impressionar, não significa necessariamente algo negativo e muito menos deve ser motivo de preocupação para a legião de fãs que o cartão roxo possui. Assim como muitas startups de sucesso, o Nubank passa por um período de forte expansão e investimento para consolidar seu modelo de negócios. Para se ter uma ideia o Amazon levou 10 anos para ter um resultado positivo.

Nos últimos anos o Nubank recebeu mais de R$ 600 milhões em 5 aportes financeiros, que estão sendo usados para impulsionar seu crescimento.

Resultado

Com aproximadamente um milhão de clientes, a empresa registrou uma receita operacional de R$ 77,09 milhões no período, valor 7 vezes maior do que no período anterior, R$ 10,4 milhões. O resultado líquido ficou negativo em R$ 122 milhões, valor também superior ao prejuízo de R$ 32,7 milhões registrados em 2015.

A empresa possui R$ 500 milhões em caixa, que devem ser destinados para financiar as a captação de novos clientes, investimentos em novas tecnologias e, principalmente, para as operações com o rotativo do cartão de crédito.

Acesse o resultado completo publicado pela empresa clicando aqui.

Modelo de Negócio

O Nubank tenta implementar um modelo de negócio inovador no mercado que vai muito além de seu cartão Mastercard sem anuidade e gerido totalmente pelo smartphone. A empresa adota um modelo de gestão mais parecido com startups de tecnologia do que das tradicionais empresas do mercado financeiro brasileiro. Os próprios fundadores se insistem em dizer que o Nubank é uma empresa de tecnologia.

Novos serviços

Nos últimos seis meses o Nubank lançou dois novos serviços para seus clientes, o pagamento antecipado de comprar parceladas e o programa de fidelização. O primeiro da a oportunidade ao usuário adiantar o pagamento de compras parceladas gerando um desconto no valor pago a vista. O segundo, ainda em testes, é um programa de pontos próprio que prevê a troca de cada real gasto por um ponto. Os pontos podem ser usados para comprar passagens aéreas ou outros serviços, como assinatura do Netflix.

 

Quer conhecer mais sobre as InsurTechs que estão mudando o setor de seguros no Brasil? Participe do InsurTech Brasil, um encontro onde o mercado se reunirá para discutir os próximos passos da inovação nessa indústria. Garanta sua vaga aqui.