Nos últimos anos, as fintechs têm causado um alvoroço no mercado de serviços financeiros brasileiros, mas especialistas em inovação acreditam que insurtechs terão um impacto ainda maior de disrupção no Brasil. Rodrigo Ventura, CEO e co-fundador da 88 Insurtech, também tem essa opinião. Para ele, as insurtechs são um tsunami chegando com força ainda maior num mercado que nos últimos 200 anos não teve qualquer tipo de inovação.

A 88 Insurtech, criada por Rodrigo, é uma das startups que está trazendo blockchain para os seguros. Ela participará no dia 5 de abril, em São Paulo, do Insurtech Brasil 2018 com um stand e um pitch para apresentar a plataforma e a empresa.

Com essa primeira participação na 2ª edição do evento, Rodrigo Ventura espera construir alianças e parcerias com seguradores, reguladores e corretores. A ideia é oferecer a plataforma da 88 Insurtech para desenhar e distribuir produtos e serviços das seguradoras e permitir que corretores usem a tecnologia para capilarizar as vendas no território nacional. Uma das novidades que a 88 Insurtech apresentará no Insurtech Brasil será o uso de blockchain em seguros e o impacto social positivo relacionado a microsseguros, mais especificamente smart contracts baseados na rede Ethereum, Stellar (para micropagamentos) e Corda (onde já são parceiros do R3).

Com 20 anos no mercado de seguros e experiências no Itaú, HSBC, Sistran, Bradesco, Zurich, Cardif, Porto Seguros e KPMG, Rodrigo Ventura decidiu criar a 88 Insurtech após validar sua tese no Startup Weekend Blockchain Techstars, patrocinado pelo Google e a Foxbit, no ano passado. “Decidi testar a ideia de uma insurtech com blockchain para seguros, onde saí vencedor”, diz Rodrigo. “Isso validou minha tese e então decidir fundar a 88 Insurtech, uma plataforma de serviços digitais para seguros e blockchain.”

Rodrigo então se reuniu com seus sócios Thiago Souza e Alex de Melo Silva e usaram de inspiração plataformas estrangeiras para trazer tecnologias de ponta para o mercado de seguros brasileiros. “Nos inspiramos na Progressive com IoT telematics, na Lemonade com robotics e inteligência artificial, na InsurePalPolicyPal e Aigang com blockchain”, explica Rodrigo. “Estamos combinando todas essas empresas e tecnologias para criar uma nova forma de inteligência e cultura em seguros.”

A 88 Insurtech pretende tornar mais simples, fácil e rápido o consumo de seguros no Brasil. Diminuindo as dificuldades atuais na compra e gestão do ciclo de vida da apólice de seguros. Para isso, sua plataforma deve oferecer validação de identidade, scoring e rating, distribuição de produtos de seguros, marketplace de serviços de seguros e o registro de apólices com a transparência permitida pelo blockchain.

Para Rodrigo, os maiores desafios que as startups enfrentam na indústria de seguros brasileira é o capital intensivo e a regulação. “A demanda existe, mas é reprimida pelo preço do seguro. A questão não é se a inovação vai acontecer, mas quando — e já está acontecendo por todos os lados, simultaneamente.” Com o intuito de dar acesso e proteger mais pessoas com seguros, a 88 Insurtech espera, em 2018, captar mais investimentos para alavancar as operações da plataforma. “A transformação digital hoje permeia todas as áreas de negócios, indústrias e empresas”, diz Rodrigo. “O mercado segurador é a última delas — vamos mudar o mundo juntos!”

 

Quer conhecer mais sobre as InsurTechs que estão mudando o setor de seguros no Brasil? Participe do InsurTech Brasil, um encontro onde o mercado se reunirá para discutir os próximos passos da inovação nessa indústria. Garanta sua vaga aqui.