A nova empresa de Renaud Laplanche, fundador do maior fornecedor de empréstimos sem garantia dos Estados Unidos, o Lending Club, já vale US$ 500 milhões. Fundada em 2016, a fintech de crédito chamada Upgrade conecta usuários que precisam de empréstimo com investidores ávidos por rendimentos. Até agora, a empresa de São Francisco forneceu mais de US$ 1 bilhão em empréstimos para consumidores principalmente para pagar dívidas de cartão de crédito.

A Upgrade anunciou, em agosto, que levantou US$ 62 milhões numa terceira rodada de investimentos. O aporte leva o total arrecadado pela empresa a US$ 142 milhões. Laplanche diz que o novo capital da empresa servirá para fazer investimentos contínuos em produtos e nas áreas de análise de crédito e compliance dos escritórios em São Francisco, Phoenix, Montreal e Chicago.

A rodada de série C foi liderada pela CreditEat. Ainda participaram dessa rodada de série C os investidores: Apoletto, FirstMark Capital, NOAH, Ribbit, Sands Capital Ventures, Silicon Valley Bank, Union Square Ventures e Vy Capital. Anju Patwardhan, diretor da CreditEase, irá se unir ao conselho da Upgrade. “Estamos muito orgulhosos de liderar essa rodada. Acreditamos que a Upgrade se tornará uma marca popular de empréstimo pessoal, dedicada a ajudar os consumidores a entender melhor seu crédito e encorajar o comportamento responsável com ele. Estamos empolgados em participar dessa jornada.”

Saída do Lending Club

Renaud Laplanche fundou o Lending Club com John Donovan em 2006, quando a startup ainda era uma aplicação de empréstimos na plataforma do Facebook. Após gerir a empresa por uma década, Laplanche foi forçado a renunciar do cargo, em 2016, por causa de controvérsias sobre dados de falsificados de empréstimos. O conselho da Lending Club determinou que o executivo não divulgou adequadamente uma participação pessoal num fundo de investimento o qual a empresa estava considerando comprar.

“Perdi a empresa por causa de uma questão de compliance”, disse Laplanche em entrevista à Forbes em abril deste ano. “Nunca mais quero ter um problema de compliance novamente.” Esse é um dos motivos pelo qual ele passa mais tempo falando de compliance e contratou mais empregos para focar nessa área, em gestão de risco e análise de crédito. Não é à toa que ela destaca essas áreas para receber o capital do aporte recente.

O objetivo de Laplanche é transformar a Upgrade numa versão melhorada do Lending Club. Um dos diferenciais em relação a outras empresas (que também é oferecido pela Credit Karma) é que a nova fintech de crédito oferece conselho e monitoramento dos serviços para os usuários. “Não queríamos ter uma relação meramente transacional”, explicou Laplanche. “Queríamos ser mais prestativos e ter um engajamento mais profundo com nossa base de clientes.” Por exemplo, se uma pessoa é recusada como tomadora de empréstimo pela Upgrade, porque está gastando demais em relação ao seu limite do cartão de crédito, a fintech a avisa que reduzir seus gastos para menos de 30% irá melhorar seu score. A ideia é que essa pessoa possa vir a ser um cliente no futuro.

No Brasil, diversas fintechs de crédito também estão usando a educação e o aconselhamento dos clientes para trazer mais consumidores para o mercado de crédito. Conheça outras iniciativas que estão democratizando o crédito no Brasil.

Com informações do Financial Times e Forbes.

 

 

 

Quer conhecer mais sobre as fintechs que estão mudando o setor de Crédito no Brasil? Participe do Cred-Tech Brasil, um encontro onde o mercado se reunirá para discutir os próximos passos da inovação nessa indústria. Garanta sua vaga aqui.