Basta ligar a televisão, abrir uma revista, folhear o jornal ou andar por uma avenida movimentada em uma grande cidade brasileira para ver anúncios, marketing, campanhas e comerciais sobre investimentos. Bancos, corretoras, distribuidoras, financeiras e robôs de investimento estão cada vez mais ativos em uma disputa pelo dinheiro dos brasileiros. Embora esse movimento já existisse no mercado de investimentos, ele foi muito potencializado e acelerado em razão da aquisição de parte da XP Investimentos pelo Itaú Unibanco e de parte da Órama pelo Grupo Globo. Ou seja, uma grande mudança desde maio de 2017.

É bem verdade que a XP já fazia propagandas antes da aquisição pelo Itaú Unibanco. Mas, de alguma forma, o fato de o maior banco brasileiro e o maior grupo de mídia do país entrarem na briga fez as coisas acelerarem: outros bancos, corretoras e até mesmo financeiras que nunca tinham pensado em fazer propaganda sobre investimentos passaram a veicular comerciais, fazer anúncios em redes sociais e disputar um pedaço desse mercado gigantesco que a XP provou ser muito rentável.

E como fica o cliente no final do dia com tanta guerra de publicidade dessas empresas, cada uma querendo “vender o seu peixe” e puxar o cliente para os seus produtos? É nesse contexto que o Yubb (https://yubb.com.br) agrega valor para as pessoas físicas que já investem ou que querem começar a investir. O Yubb é um buscador de investimentos gratuito para que as pessoas possam facilmente encontrar opções para aplicar melhor seu dinheiro. Funciona como um “Buscapé ou Trivago de investimentos”: as pessoas acessam o Yubb, escolhem quanto querem investir e por quanto tempo, e visualizam diversos investimentos diferentes disponíveis naquele momento.

Assim como as pessoas entram no Buscapé para encontrar uma televisão, celular, computador e outros produtos, as pessoas acessam o Yubb para encontrar e descobrir opções de investimento”, comenta Bernardo Pascowitch, fundador e CEO da fintech.

O interessante sobre o Yubb é a questão da imparcialidade: a ferramenta não faz recomendação de investimentos, consultoria ou assessoria. Ou seja: assim como no Buscapé ou Trivago em que as ferramentas não recomendam um produto ou um hotel em específico, mas mostram as opções existentes, o Yubb faz o mesmo na área de investimentos.

Adicionalmente, o dinheiro não passa pelo Yubb e vai direto para o banco, corretora, financeira ou outra empresa de investimento escolhida pelo usuário, o que garante maior credibilidade e segurança ao investidor que usa o Yubb. “Essa questão de “imparcialidade e isenção” é muito importante. Nesse momento em que estamos vivendo uma “guerra” de plataformas de investimentos de corretoras e bancos disputando clientes entre si, nós frequentemente ouvimos de usuários que o único lugar realmente confiável e imparcial sobre investimentos é o Yubb”, complementa Pascowitch.

Por meio do Yubb, as pessoas podem encontrar mais de 700 investimentos diferentes de mais de 60 instituições financeiras. Em alguns casos, é possível encontrar investimentos com valor mínimo de R$ 1,00. E não só os bancos possuem seus investimentos exibidos pelo Yubb: além de ser uma fintech, o próprio Yubb exibe investimentos de outras fintechs como Vérios e Warren (os robôs de investimento que já foram matéria aqui no Conexão Fintech). Portanto, é um exemplo interessante de como fintechs podem fazer negócios em conjunto.

E aonde o Yubb quer chegar? “Nossa visão é permitir que todas as pessoas que queiram investir usem o Yubb para encontrar os melhores investimentos, ganhar mais com suas aplicações e alcançar a estabilidade financeira”, finaliza Pascowitch.

Quer conhecer mais sobre as InsurTechs que estão mudando o setor de seguros no Brasil? Participe do InsurTech Brasil, um encontro onde o mercado se reunirá para discutir os próximos passos da inovação nessa indústria. Garanta sua vaga aqui.