Por Júlia Merker

A corretora digital Warren, fundada em 2017, vai receber um aporte no valor de R$ 25 milhões de um pool de investidores liderado pelo Ribbit, fundo de venture capital do Vale do Silício que já investiu em fintechs como Robinhood, Coinbase e Wealthfront.

A rodada é a primeira recebida pela Warren e conta também com a participação dos fundos Kaszek Ventures, criado pelos fundadores do Mercado Livre e que no Brasil investiu no Nubank e no GuiaBolso, e da gestora de recursos Chromo Invest, que tem fintechs como a BizCapital no portfólio.

Com 50 mil clientes, a Warren agora busca multiplicar o número de contas por oito e atingir um patrimônio sob gestão de R$ 5 bilhões.

“A Warren nasceu com o propósito de democratizar o acesso aos bons investimentos, entregando para todos a oportunidade de acessar os melhores produtos em um modelo de alinhamento com o cliente. A vinda de investidores desse calibre vai acelerar nossa missão”, afirma Tito Gusmão, fundador da corretora.

O valor será investido principalmente em tecnologia para construção de uma plataforma mais diversificada de produtos e para expansão do braço B2B, lançado recentemente, para plugar consultores independentes. Atualmente há 50 parceiros conectados à Warren e uma fila de espera de outros 200 consultores.

“No Brasil, quem distribui investimentos é o gerente do banco, que sofre duplamente. Primeiro, por ter poucos produtos. Segundo, porque é pressionado para oferecer os produtos que rendem mais ganhos para o banco”, diz Gustavo Ruiz, diretor da nova unidade de negócios.

A Warren, que surgiu operando com uma oferta limitada de fundos próprios na prateleira, no próximo mês passará a oferecer algumas centenas de títulos de renda fixa de terceiros, como CDBs, além de 150 fundos de investimento das principais gestoras do país. 

Os sócios da Warren são Tito Gusmão, que foi sócio da XP Investimentos e é autor do livro Papo de Grana, e Marcelo Maisonnave, cofundador da XP Investimentos, que tem participações em startups como Warren, BeeTech, Monkey, FitBank, Vortex e Startse.

Fonte: Baguete Diário / Autor: Júlia Merker

Quer conhecer mais sobre as fintechs que estão mudando o setor de Crédito no Brasil? Participe do Cred-Tech Brasil, um encontro onde o mercado se reunirá para discutir os próximos passos da inovação nessa indústria. Garanta sua vaga aqui.