O programa PEGN – Pequenas Empresas Grandes Negócios apresentou neste domingo, dia 30, como as Fintechs, startups de serviços financeiros, ajudam empresas que precisam de capital para crescer.

Trazendo um ponto de vista diferente do que temos visto na mídia o programa trouxe casos de empresários que precisam de empréstimos ou desejam investir para explicar como uma fintech pode ajuda-los com menor custo e mais eficiência. Para mostrar como O caso em questão foi a fintech Nexoos, startup que facilita empréstimos para pequenas e médias empresas financiados diretamente por pessoas (conhecido como “peer-to-peer lending”).

O programa ainda conta com a participação da ABfintechs – Associação Brasileira de Fintechs, no qual o diretor José Prado (também fundador do Conexão Fintech) explicou mais claramente quais são os riscos de se investir em uma Fintech e como o consumidor pode mitigar os mesmo. Para quem pensa em empreender neste meio Prado orienta quais devem ser os cuidados à se tomar.

Saiba mais sobre o Nexoos:

A solução peer-to-peer permite reduzir as taxas de juros, além de ser um processo 100% online. A empresa retém um percentual do valor de cada empréstimo realizado.

“As PMEs têm muita dificuldade para acessar crédito e, quando conseguem, os bancos oferecem altíssimas taxas de juros. A Nexoos é uma alternativa que conecta essas empresas a pessoas dispostas a financiá-las”, diz o CEO Daniel Gomes.

A Nexoos foi fundada no final de 2014 por Daniel Gomes e Nicolas Arrellaga.  A ideia da Nexoos surgiu quando eles estavam estudando em Londres. Na época, o empréstimo peer-to-peer estava em pleno crescimento. “Após muito estudo, customer development, entrevistas com clientes e ‘pitch MVPs’, chegamos à conclusão que o Brasil tinha muito potencial para este modelo”, conta Daniel. Em 2015, eles lançaram a plataforma no Paraguai e realizaram os primeiro empréstimos em dezembro do mesmo ano.

“O mercado de crédito oferece grandes oportunidade para soluções inovadoras que resolvam algum problema real, já que o crédito é uma ferramenta essencial para o crescimento de PMEs”, diz Daniel. Ele cita todos os bancos e instituições financeiras como concorrentes. Há, no entanto, muitas startups focadas em empréstimo pessoal, como a Lendico.

A plataforma tem cerca de 6.000 empresas cadastradas no momento e convites ainda estão sendo distribuídos para quem deseja investir pela Nexoos, de acordo com a lista de espera. Com este crescimento continuo, a expectativa da startup é chegar ao Break-even ainda em 2017.

Segundo Daniel, o maior desafio até o momento foi o regulatório: “A inovação e tecnologia no mercado financeiro costuma esbarrar em leis que não foram feitas para o mundo digital que vivemos hoje. Também precisamos explicar esse modelo inovador para os nossos clientes, para alcançar o maior número possível de pessoas”.

A Nexoos foi acelerada pela Oxigênio Aceleradora e recentemente levantaram 50 mil dólares da Porto Seguro em conjunto com a Aceleradora Plug & Play, do Vale do Silício (EUA). O plano é continuar crescendo e os sócios estão estruturando uma rodada de captação Series A para o final de 2017.

“Queremos ser referência para empréstimos peer-to-peer para pequenas e médias empresas na América Latina, assim como uma alternativa de maior rentabilidade para investidores”, diz Daniel.

Quer conhecer mais sobre as fintechs que estão mudando o setor de Crédito no Brasil? Participe do Cred-Tech Brasil, um encontro onde o mercado se reunirá para discutir os próximos passos da inovação nessa indústria. Garanta sua vaga aqui.