Por Danylo Martins, via Valor Econômico

Em 2017, as startups que atuam no mercado de crédito lideraram o volume de investimentos recebidos por fintechs. Do montante total de R$ 457,4 milhões, 89% foram destinados a empresas desse segmento, incluindo Creditas, Avante, Bom Pra Crédito, Adianta, No Verde, Konduto e QueroQuitar. Os dados fazem parte de um levantamento da iniciativa Conexão Fintech. Para este ano, a tendência é que os negócios na área de crédito continuem em ascensão, avaliam especialistas.

Confira os investimentos de 2017 em fintechs brasileiras
Investimentos de 2018 ultrapassam total de 2017 em dois meses
Fusões e aquisições crescem no mercado brasileiro de fintechs

Na visão de Marcelo Bradaschia, co-fundador do FintechLab, ainda existe dificuldade em acessar crédito nos bancos, tanto para pessoa física quanto para pequenas e médias empresas, mesmo com os sinais de recuperação da economia. “Há uma oportunidade muito grande para as fintechs crescerem e levarem soluções de produtos e serviços financeiros mais baratos, caso dos empréstimos”, aponta Bernardo Pascowitch, diretor da Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs) e fundador do buscador de investimentos Yubb.

Segundo ele, o olhar mais atento de órgãos reguladores, como Banco Central (BC) e Comissão de Valores Mobiliários (CVM), também sinaliza que o mercado de fintechs está passando por um processo de amadurecimento. No caso das startups de crédito on-line, o BC colocou uma proposta de regulação em audiência pública entre 30 de agosto e 17 de novembro e a expectativa é que as regras sejam apresentadas neste ano.

Os negócios na área de investimentos para pessoa física também tendem a ganhar força em 2018, fisgando aportes de fundos. “Com juros baixos, as pessoas vão buscar alternativas de retorno”, diz José Prado, do Conexão Fintech.

O mercado segurador é outra aposta dos especialistas. Em 2017, os investimentos em insurtechs no mundo somaram US$ 2,3 bilhões, alta de 36% em relação ao volume registrado no ano anterior, segundo estudo da corretora Willis. No Brasil, esse mercado, apesar de embrionário, atraiu nos últimos anos aportes de fundos como Redpoint eventures e monashees.

Em dezembro, o fundo BR Startups – criado pela Microsoft Participações e gerido pela MSW Capital – anunciou um aporte de R$ 2 milhões na startup Car10, tendo como investidor-âncora a BB Seguridade.

Quer conhecer mais sobre as InsurTechs que estão mudando o setor de seguros no Brasil? Participe do InsurTech Brasil, um encontro onde o mercado se reunirá para discutir os próximos passos da inovação nessa indústria. Garanta sua vaga aqui.