A empresa arrecadou US $ 100 milhões para ir além dos cartões corporativos para startups.

Poucas empresas no Vale do Silício obtiveram valorizações de vários bilhões de dólares tão rapidamente quanto a Brex Inc., a startup de tecnologia financeira cujos valores atualmente estão em US $ 2,6 bilhões – apenas um ano após o lançamento de seu primeiro produto. A empresa foi criada pelos brasileiros Henrique Dubugras e Pedro Franceschi.

A Brex planeja anunciar essa avaliação na terça-feira, juntamente com a notícia de que arrecadou US $ 100 milhões em novos financiamentos, em uma rodada liderada pelo Kleiner Perkins Digital Growth Fund. Outros investidores na rodada incluem o Y Combinator Continuity Fund, a Ribbit Capital e a DST Global. A Bloomberg relatou alguns detalhes da rodada de financiamento no mês passado.

Parte da razão pela qual a Brex atraiu a atenção das empresas de Venture Capital se deve que seu principal produto lide com startups. A empresa faz um cartão de crédito corporativo para empresas startups, determinando limites de crédito com base em métricas não tradicionais, como o monitoramento em tempo real das contas e transações bancárias das empresas. Desde então, a Brex expandiu para outras áreas, incluindo cartões para empresas de comércio eletrônico e, agora, empresas de life sciences, que anunciou junto com o financiamento.

Mas Mood Rowghani, o investidor que liderou a rodada para a Kleiner Perkins, disse que esses serviços poderiam ser apenas o começo das ofertas potenciais da Brex. “Dizer que eles fazem cartões de crédito para startups hoje é como dizer que o Facebook é apenas para pessoas em campus universitários”, disse Rowghani. “As plataformas começam a fazer uma coisa e você vê um roteiro de produtos começando a evoluir, mostrando do que é capaz.”

Além de cartões de crédito para startups, a Brex disse que também planeja atender a grandes empresas e oferecerá não apenas cartões, mas gerenciamento de despesas e recompensas personalizadas.

Brex última levantou dinheiro em outubro. Desde então, sua receita mensal cresceu seis vezes até maio, de acordo com uma pessoa familiarizada com as finanças da empresa, que pediu para não ser identificada porque os detalhes são particulares. Tanto a pessoa quanto a empresa se recusaram a compartilhar os totais de receita. Parte do crescimento de vendas da empresa vem de seus novos serviços para empresas de comércio eletrônico, que incluem um cartão com uma linha de crédito de 60 dias sem juros. Assim, por exemplo, se uma empresa de e-commerce gastasse US $ 500.000 estocando produtos antes de um feriado, ela poderia pagar pelas despesas com o cartão de crédito, em vez de potencialmente ter que solicitar um empréstimo.

O esforço de e-commerce, lançado em fevereiro, já está perto de um terço do negócio, disse o presidente-executivo da Brex, Henrique Dubugras. “Ele cresceu muito mais rápido do que esperávamos internamente, por isso espero que as de life sciencesestejam na mesma velocidade, mas cada nova vertical é como um novo produto”, disse ele.

Dubugras, que disse que não vendeu nenhuma de suas ações da empresa nesta rodada, também disse que a economia unitária da Brex é lucrativa, mas que a startup não tem planos de obter lucro no futuro próximo, já que investe em novas verticais e continua contratando.

Fonte: Bloomberg / Por: Julie Verhage

Quer conhecer mais sobre as fintechs que estão mudando o setor de Crédito no Brasil? Participe do Cred-Tech Brasil, um encontro onde o mercado se reunirá para discutir os próximos passos da inovação nessa indústria. Garanta sua vaga aqui.