Fintech de soluções financeiras deve transacionar R$ 4,5 bilhões até dezembro, reunindo todos os processos de um banco e plataforma de meios de pagamento

Com muita tecnologia e ouvidos atentos às principais demandas do mercado, o Pinbank registrou, em apenas nove meses de 2021, um volume total de pagamentos 100% acima do registrado em todo o ano de 2020. Além disso, a estimativa é fechar o ano com R$ 4,5 bilhões transacionados. O incremento expressivo no desempenho leva a fintech, com 12 anos de atuação, a iniciar a oferta de microcrédito, com a fase beta sendo conduzida de forma gradual. O bom momento proporcionou ainda aumento de 30% no número de postos de trabalho neste ano. Esse movimento gerou demanda por reformulação completa em seu branding. Nada mal para uma empresa inserida em um mercado profundamente abalado pelas recomendações de distanciamento social, durante o período mais pesado da pandemia de Covid-19.

“Nosso foco de negócio sempre foi desenvolvimento e tecnologia. Não pensamos apenas em meios de pagamento, precisamos oferecer novos produtos todos os meses aos clientes para acompanhar as necessidades do mercado e seus consumidores”, afirma Ricardo Barletti, CEO do Pinbank.

fintech atua em três linhas: conta digital; soluções para vendas físicas ou online; e Bank as a Service(BaaS), solução white label e APIs (Application Programming Interface). Seja por meio de máquinas de pagamentos, PIX, TED, boletos bancários ou cartões, o Pinbank movimentou mais de R$ 3 bilhões entre janeiro e setembro deste ano, com previsão de atingir R$ 4,5 bilhões até dezembro.

Se isolado, o volume de transação por cartões respondeu por R$ 1 bilhão nos nove primeiros meses do ano. Em todo o ano de 2020 totalizou R$ 800 milhões. “O PIX alterou muito o cenário desde seu surgimento, transformando o perfil das transações de débito”, conta. Em paralelo, a pandemia impactou o desempenho do comércio. Segundo Barletti, em praticamente seis meses de isolamento social houve quebra de, pelo menos, 3 mil estabelecimentos comerciais que compunham sua base de clientes.

Em contrapartida, ele enxerga a retomada com força de sua plataforma financeira junto ao mercado varejista. Tanto é que já encomendou 10 mil novas maquininhas de pagamento ao fabricante e, no último trimestre deste ano, 6 mil delas já estarão nas ruas.

Nova fase – Por meio de tecnologia própria, o Pinbank atua como agregador financeiro, proporcionando melhor experiência de compra aos consumidores finais e benefícios financeiros aos varejistas. O Pinbank entra em nova fase, que já começa com a abertura de microcrédito, conduzida em fase beta. Além disso, o foco da operação também estará concentrado no desenvolvimento de mais soluções customizadas, seja no portfólio de white label ou de APIs para grandes varejistas, bem como na expansão da oferta de produtos voltados à gestão financeira para empresas de todos os portes.

“Somos o braço tecnológico e de serviços financeiros dos nossos clientes, mas também atuamos como consultores, apontando soluções e oportunidades de mercado. O objetivo é ajudar as empresas a conquistar melhor performance financeira a partir da excelência do atendimento aos consumidores finais”, acrescenta Barletti, que conta com 400 fintechs plugadas ao seu ecossistema.

Rebranding – O Pinbank apresenta, a partir de novembro, uma evolução de sua marca ao mercado, acompanhada de forte campanha nas mídias sociais. Assinadas pela agência VOR Inteligência Coletiva, as peças destacam o lado humano por trás de uma consistente plataforma digital. A comunicação da marca transmite a mensagem de que é possível ser uma empresa moderna, descomplicada e tecnológica, sem perder o toque humano.Uma organização voltada ao ‘tech’ e também ao ‘touch’, integrando tecnologia e pessoas de maneira simples e próxima.

De acordo com Barletti, nesse momento de crescimento da empresa é fundamental estreitar laços com antigos clientes e também se posicionar mais claramente perante os novos. “Como um agregador de soluções, precisamos transmitir credibilidade e confiança ao mercado em vários pontos de contato do cliente com a marca. Queremos, também por meio da comunicação, reforçar que temos uma plataforma tecnológica e financeira consolidada, sempre com pessoas comprometidas por trás de todo esse ferramental”, conclui.