Sempre que uma nova tecnologia surge no mundo (ou ao menos se populariza) é normal que surjam mitos sobre ela, criados principalmente por quem não a estuda e a analisa a fundo.

E, é claro, isso não poderia ser diferente para o Blockchain, uma tecnologia com um enorme potencial de revolucionar o setor financeiro e muitos outros.

Veja quais são os mitos mais comuns sobre a Blockchain e nunca mais cometa a gafe, por exemplo, de dizer que “bitcoin é a mesma coisa que blockchain”.

Aliás, que tal começarmos por esse mito?

1. Blockchain é a mesma coisa que Bitcoin

Este mito existe principalmente pelo fato da bitcoin, que é uma criptomoeda, ter sido criada “em cima” da tecnologia Blockchain – a qual explicamos com mais detalhes neste texto.

Portanto, para deixar claro:

A Blockchain é uma tecnologia na qual computadores conectados à internet usam uma rede descentralizada para realizar transações das mais diversas naturezas – de criptomoedas, como a bitcoin, aos contratos inteligentes, como no caso da Ethereum.

A bitcoin é a criptomoeda mais famosa do mundo que foi criada a partir da tecnologia blockchain, especialmente devido a sua necessidade de ser uma moeda digital, descentralizada e livre de “controladores”, como bancos, empresas e governos.

2. Blockchain é muito complicado de se entender

Há alguns anos, quando apenas os especialistas em computação podiam entender e usar o Blockchain, afirmar que “a blockchain é uma tecnologia complicada” poderia até fazer sentido.

No entanto, com a sua popularização exponencial dos últimos anos, hoje em dia Blockchain é tão fácil de entender que existem cursos, eventos, workshops e até livros sobre o assunto que não são necessariamente voltados aos desenvolvedores.

3. Blockchain é um banco de dados

Blockchain não é um banco de dados, nem local nem na nuvem. Isso porque ela não permite o armazenamento de arquivos, como fotos, vídeos e documentos.

Nada verdade, “tudo” o que ela faz é criar um ambiente onde computadores de qualquer lugar do mundo podem realizar transações de forma rápida, segura e livre de controladores – inclusive muitas vezes sem ao mesmo serem identificados pela comunidade.

4. Blockchain só pode ser utilizado no setor financeiro

Muitos acham que a Blockchain só pode ser aplicado no setor financeiro porque ela foi desenvolvida originalmente para funcionar com o bitcoin – que está de certa forma revolucionando o setor financeiro ao redor do mundo.

Contudo, a Blockchain não apenas pode ser usada em outros setores como já está sendo, como o setor imobiliário, farmacêutico e até de saúde.

5. Blockchain torna os dados das transações públicos

Muitos pensam que, por ser uma tecnologia “aberta”, Blockchain permite que qualquer pessoa veja os dados das transações, o que no fim das contas é um grande mito.

Os dados das transações são criptografados, e só quem pode acessar os seus detalhes é quem participou dela. Portanto, apesar de seu público, o livro-razão impede que apenas as pessoas não autorizadas tenham acesso às transações.

6. Os ‘contratos inteligentes’ têm validade jurídica

Os contratos inteligentes feitos na Ethereum, que é uma das aplicações mais populares da Blockchain hoje, eliminam a necessidade dos indivíduos lidarem com processos complexos e demorados na hora de realizarem transações.

Porém, eles são apenas códigos que executam ações automaticamente quando certos requisitos são cumpridos e comprovam a realização das transações.

Portanto, até o momento, não possuem o mesmo valor jurídico que contratos regulares.

7. Blockchain é apenas uma ‘moda’ passageira

É verdade que muitas tecnologias surgem e desaparecem rapidamente, mas de acordo com a Accenture, os mercados de capitais investiram cerca de US$ 75 milhões no Blockchain em 2015.

Em 2019, esse número deverá chegar a US$ 400 milhões, o que somente comprova o imenso potencial da tecnologia Blockchain para diferentes setores da economia e, principalmente, para seus usuários.

Se você tem aquele amigo empreendedor que vive repetindo alguns destes mitos? Compartilhe este texto com ele e vamos continuar a conversa nos comentários!

Quer conhecer mais sobre as fintechs que estão mudando o setor de Crédito no Brasil? Participe do Cred-Tech Brasil, um encontro onde o mercado se reunirá para discutir os próximos passos da inovação nessa indústria. Garanta sua vaga aqui.